27.8.08

Peso

Eu já te carreguei de todas as formas. Te carreguei na minha cabeça quando ainda nao sabia que seríamos nós. Te carreguei no meu peito quando, finalmente, éramos amor. Te carreguei no meu ventre, em forma de gozo e em forma de doença. Te carreguei e te ensinei andar também sobre as minhas pernas ligeiras. Te levei nas minhas costas largas, nos meus braços que já queriam abraçar o mundo, nos meus dedos finos de artista inapto. Eu já te carreguei na minha saliva, no meu cheiro...no meu sangue que todo mês se largava um pouco de mim tirando de dentro, também, um pouco de si. Eu já te carreguei na carteira, na bolsa, no porta-moedas quase vazio. Hoje nao te carrego mais. Apenas sei que você já esteve por aqui, em algum lugar de mim.

3 comentários:

moacircaetano disse...

Nossa, querida!
Sem dúvida, um dos textos mais lindos que você já escreveu!

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Concordo com o Moacir. Achei muito lindo. Adorei.

marcelo disse...

adorei... eu também. tanto tempo faz, tontos demais...